Alfafa

Nome científico: Medicago sativa L.

Sinonímia Científica: Medicago afghanica Vassilcz, Medicago agropyretorum Vassilcz, Medicago asiática subs. Sinensis Sinskaya, Medicago beipinensis Vassilcz, Medicago grandiflora Vassilcz, Medicago kopetdaghi Vassilcz, Medicago ladak Vassilcz, Medicago mesopotâmica Vassilcz, Medicago orietalis Vassilcz, Medicado polia Vassilcz, Medicago praesativa Sinsk, Medicago sativa var. grandiflora Grossh, Medicago sogdiana Vassilcz, Medicago tibetana (Alef) Vassilcz.

Nome popular: alfafa, alfafa-de-flor-roxa, alfafa-verdadeira, melga, melga-dos-prados, luzerna.

Família: Fabeacea.

Parte Utilizada: Partes aéreas.

Ação Farmacológica: A alfafa tem reconhecida atividade antianêmica e anticoagulante, se destaca também a quantidade fitoestrógenos, o que faz desta espécie um recurso importante na abordagem de quadros de menopausa. A alfafa apresenta quatro vezes mais a quantidade de vitamina C presente no suco do limão. A atividade antianêmica se deve ao fato de possuir sais de ferro com boa absorção pelo organismo. A ação hipolipemiante da alfafa está relacionada aos saponosídeos da raíz e sementes que reduz a taxa de colesterol total.

Toxicidade/Contraindicações: As sementes são contraindicadas para pacientes que apresentam lúpus eritematoso sistêmico (LES), e durante a gravidez e lactação, pois há estudos que mostram que podem alterar o ciclo menstrual e a chegada de leite pelos ductos galactóforos. O resto da planta pode ser administrado nestes pacientes desde que não se ultrapasse a dose máxima.

Dosagem e Modo de Usar:

- Infusão (rasura): Duas colheres de chá da erva para uma xícara de água, tomar 2 xícaras ao dia.

 

Quero um Orçamento
Realize seu Orçamento
Em breve retornaremos.